24 de dez de 2012

John Piper lê seu poema O Estalajadeiro


piper-estalajadeiro
No vídeo abaixo, John Piper lê seu poema “The Innkeeper” [O Estalajadeiro], onde ele imagina como seria se Jesus voltasse para a estalagem que nascera em Belém, cidade que sofreu um infaticídio por comportar o Messias. O poema é lindo e eu me emocionei (não que precise de muito para isso). Compartilhem e usem como ferramenta para iniciar uma conversa evangelística.

E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre
 as principais de Judá; porque de  ti  sairá  o Guia que há de
apascentar a meu povo, Israel. (Mt 2:6)  Vendo-se  iludido  pelos
magos, enfureceu-se  Herodes  grandemente  e  mandou  matar
 todos  os  meninos de Belém e de  todos  os  seus arredores,
de dois anos para baixo, conforme o tempo do qual com precisão
 se informara dos magos. Então, se cumpriu o que fora dito por
 intermédio do profeta Jeremias:  Ouviu-se um clamor em Ramá,
 pranto, choro e grande lamento; era Raquel chorando por seus
filhos e inconsolável porque não mais existem.  (Mt 2:16-18)

Por John Piper © Desiring God Foundation, © Crossway. Todos os direitos reservados. Usado com permissão. Poema em inglês: The Innkeeper. Video Original: Hope for the Hurting This Christmas (Video).
Tradução: Lindsei Lansky. Legenda: Tiago Basile. Cedido gentilmente por Desiring God.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.


Via: [Voltemos ao Evangelho]

4 de dez de 2012

A tão aguardada visitação (Boas Novas de Grande Alegria)


Terça, 4 de Dezembro
“Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, porque visitou e redimiu o seu povo, e nos suscitou plena e poderosa salvação na casa de Davi, seu servo, como prometera, desde a antiguidade, por boca dos seus santos profetas, para nos libertar dos nossos inimigos e das mãos de todos os que nos odeiam;”  - Lucas 1:68-71
Repare duas coisas notáveis a partir das palavras de Zacarias em Lucas 1.
Em primeiro lugar, Zacarias, nove meses antes, não conseguia crer que sua esposa teria um filho. Agora, cheio do Espírito Santo, ele está tão confiante da obra redentora de Deus na vinda do Messias que fala dela usando o pretérito perfeito. Pois, para a mente da fé, uma promessa de Deus é “dito e feito”. Zacarias aprendeu a confiar na Palavra de Deus e assim teve uma garantia notável: “Deus visitou e redimiu”
Em segundo lugar, a vinda de Jesus, o Messias, é uma visitação de Deus para o nosso mundo: “O Deus de Israel visitou e redimiu”. Durante séculos, o povo judeu definhava sob a certeza de que Deus havia se retirado: o espírito de profecia cessara, Israel caíra nas mãos de Roma. E todas as pessoas piedosas em Israel aguardavam a visitação de Deus. Lucas nos diz em 2:25 que o devoto Simeão “esperava a consolação de Israel”, e, em Lucas 2:38, que Ana, uma mulher de oração, “esperava a redenção de Jerusalém”.
Foram dias de grande expectativa. Agora, a tão aguardada visitação de Deus estava prestes a acontecer — de fato, Ele estava prestes a vir de uma forma que ninguém esperava.

Fonte: [Blog Fiel]

O Deus Magnífico de Maria (Boas Novas de Grande Alegria)


Segunda, 3 de Dezembro

A minha alma engrandece ao Senhor,
e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador,
porque contemplou na humildade da sua serva.
Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada,
porque o Poderoso me fez grandes coisas.
Santo é o seu nome.
A sua misericórdia vai de geração em geração
sobre os que o temem.
Agiu com o seu braço valorosamente;
dispersou os que, no coração, alimentavam pensamentos soberbos.
Derribou do seu trono os poderosos
e exaltou os humildes.
Encheu de bens os famintos
e despediu vazios os ricos.
Amparou a Israel, seu servo,
a fim de lembrar-se da sua misericórdia
a favor de Abraão e de sua descendência, para sempre,
como prometera aos nossos pais.
– Lucas 1:46-55
Maria vê claramente uma das coisas mais notável a respeito de Deus: Ele está prestes a mudar o curso de toda a história da humanidade. As três décadas mais importantes de todos os tempos estão prestes a começar.
E onde está Deus? Ocupando-se com duas mulheres humildes e desconhecidas – uma velha e estéril (Isabel), uma jovem e virgem (Maria). E Maria está tão comovida com esta visão de Deus, o amante dos humildes, que irrompe em canção – uma canção que chegou a ser conhecida como “Magnificat” (Lucas 1:46-55).
Maria e Isabel são heroínas maravilhosas no relato de Lucas. Ele ama a fé dessas mulheres. A coisa que mais parece lhe impressionar, e aquilo com que ele deseja impressionar Teófilo, seu nobre leitor, é a singeleza e alegre humildade de Isabel e Maria.
Isabel diz: “E de onde me provém que me venha visitar a mãe do meu Senhor?” (Lucas 1:43). E Maria diz: “porque contemplou na humildade da sua serva” (Lucas 1:48).
As únicas pessoas cujas almas podem realmente magnificar o Senhor são de pessoas como Isabel e Maria – pessoas que reconhecem sua condição humilde e estão maravilhadas pela condescendência de Deus magnífico.

Fonte: [Blog Fiel]

Preparem o Caminho (Boas Novas de Grande Alegria)


“E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus. E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.” – Lucas 1:16-17
O que João Batista fez por Israel, o Advento pode fazer por nós. Não deixe que o Natal o pegue despreparado. Refiro-me ao despreparo espiritual. O gozo e o impacto dele serão muito maiores se você estiver pronto!
Que você esteja preparado…
Primeiro, medite sobre o fato de que precisamos de um Salvador. O Natal é uma acusação antes de se tornar um deleite. Ele não terá o efeito pretendido até que sintamos desesperadamente a necessidade de um Salvador. Deixe que estas curtas mediações de Advento ajudem a despertar em você uma sensação agridoce da necessidade do Salvador.
Segundo, realize um sóbrio autoexame. O Advento é para o Natal o que a Quaresma é para a Páscoa. “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”. (Salmo 139:23-24) Que cada coração prepare para Ele morada… limpando a casa.
Terceiro, edifique uma antecipação, esperança e empolgação centradas em Deus em sua casa – especialmente para as crianças. Se você estiver animado sobre Cristo, eles também estarão. Se você só torna o Natal emocionante com coisas materiais, como é que as crianças terão uma sede por Deus? Dobre os esforços de sua imaginação para tornar visível para as crianças a maravilha da chegada do Rei.
Quarto, seja intenso nas Escrituras, e memorize as principais passagens! “Não é a minha palavra fogo, diz o SENHOR?” (Jeremias 23:29). Nesta época do Advento, reúna-se ao lado desse fogo. É quente. Está cintilando com cores da graça. É cura para mil feridas. É luz para as noites escuras.

Fonte: [Blog Fiel]

Introdução (Boas Novas de Grande Alegria)



O que Jesus quer neste Natal?
Nós podemos ver a resposta nas suas orações. O que Ele pedia a Deus? A sua oração mais longa está em João 17. O clímax dos Seus pedidos está no verso 24.
Entre todos os pecadores indignos do mundo, existem aqueles que Deus “deu para Jesus.” Esses são aqueles que o Pai trouxe para o Filho (Jo 6:44,65). Esses são cristãos – pessoas que “receberam” Jesus como o crucificado e ressurreto Salvador e Senhor e Tesouro de suas vidas (Jo 1:12; 3:17; 6:35; 10:11, 17-18; 20:28). Jesus disse que deseja que eles estejam consigo.

Às vezes, nós ouvimos as pessoas dizerem que Deus criou o homem porque Ele estava solitário. Eles dizem: “Deus nos criou para nós estivéssemos com Ele.” Jesus concorda com isso? Bem, de fato Ele diz que realmente queria que nós estivéssemos com Ele! Sim, mas por quê? Consideremos o resto do versículo. Por que Jesus queria que nós estivéssemos com Ele?
…para que vejam a minha glória que [Tu, Pai] me deste; porque tu me amaste antes da fundação do mundo.
Essa seria uma maneira estranha de expressar sua solidão. “Eu os quero comigo para que possam ver a minha glória.” De fato, isso não expressa solidão dele. Isso expressa a sua preocupação quanto à satisfação do nosso anseio, e não de sua solidão. Jesus não é solitário. Ele e o Pai e o Espírito são profundamente satisfeitos na comunhão da Trindade. Nós, não ele, estamos famintos por algo. E o que Jesus deseja para o Natal é que experimentemos aquilo para que fomos realmente criados – contemplar e experimentar a sua glória.

Ó, que Deus penetre isso em nossas almas! Jesus nos fez (Jo 1:3) para vermos a sua glória.
Um pouco antes de ir para a cruz, ele pede seus desejos mais profundos ao Pai: “Pai, Eu desejo [Eu desejo!] que eles… estejam comigo, para que vejam a minha glória.”
Mas isso é apenas metade do que Jesus queria nesses versos finais e culminantes de sua oração. Acabei de dizer que fomos, de fato, feitos para contemplar e experimentar a sua glória. Não era isso que Ele queria – que não apenas pudéssemos ver a sua glória, mas também experimentá-la, nos satisfazer nela, nos deleitar nela, fazer dela o nosso tesouro, e amá-la? Considere o verso 26, o último verso:
Eu lhes fiz conhecer o teu nome e ainda o farei conhecer, a fim de que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles esteja.
Esse é o final da oração. Qual é o propósito final de Jesus para nós? Não que simplesmente víssemos a Sua glória, mas que nós o amássemos com o mesmo amor que o Pai tem por Ele: “a fim de que o amor com que [Tu, Pai] me amaste esteja neles, e eu neles esteja.”

O anseio e propósito de Jesus é que vejamos sua glória e então sejamos capazes de amar o que vemos, com o mesmo amor que o Pai tem pelo Filho. E Ele não quer dizer que nós meramente imitamos o amor do Pai pelo Filho. Ele quer dizer que o próprio amor do Pai se torne o nosso amor pelo Filho – que amemos o Filho com o amor do Pai pelo Filho. Isso é o que o Espírito se torna e derrama em nossas vidas: Amor ao Filho pelo Pai através do Espírito.

O que Jesus mais quer para o Natal é que seus eleitos estejam reunidos e, então, consigam o que eles mais desejam – contemplar Sua glória e, então, experimentá-la com o mesmo saborear do Pai pelo Filho.

O que eu mais quero para o Natal nesse ano é juntar-me a você (e a muitos outros) em contemplar Cristo em toda sua plenitude e que juntos sejamos capazes de amar o que vemos, com um amor que vai muito além de nossa vacilante capacidade humana. Esse é o nosso objetivo nesses devocionais para o Advento. 

Queremos, juntos, contemplar e provar esse Jesus cujo primeiro “advento” (vinda) celebramos, e cujo segundo advento antecipamos.

Isso é o que Jesus pede por nós neste Natal: “Pai, mostre-lhes a minha glória e lhes dê o mesmo deleite em mim que Tu tens em mim.” Ó, que possamos ver a Cristo com os olhos de Deus e saborear a Cristo com o coração de Deus. Essa é a essência do céu. Esse é o presente que Cristo veio comprar para pecadores ao custo de Sua morte em nosso lugar.

Fonte: [Blog Fiel]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...