29 de abr de 2014

Irmãs pela fé: Alina

Viajando por um país da Ásia Central há alguns meses, uma equipe da Portas Abertas conheceu três mulheres. Todas deram sua vida para Cristo e agora pagam o preço de sua fé. Leia o testemunho de Alina
Alina_17042014.jpg
Alina tem 39 anos e trabalha como professora-chefe em uma das escolas de ensino médio da região. Ela se tornou cristã há sete anos e é mãe de quatro crianças; três delas estão na escola.

Atualmente, os professores assediam as crianças pela sua fé ao não permitirem que elas mencionem que são cristãs e por forçá-las a orar Namaz - a oração muçulmana. Recentemente, o governador do país assinou uma lei que permite ensinar e estudar as principais religiões do mundo. Os estudantes e seus pais têm o direito de escolher qual religião eles preferem estudar ou ainda podem optar em não participar. A maioria dos estudantes escolheu estudar o islã, já que vivem em um país muçulmano. Não há professor de cristianismo na escola.

O professor de estudos islâmicos tem pressionado os filhos de Alina a aceitarem o islamismo, mesmo sabendo que eles são cristãos. Ele também os força a fazerem orações muçulmanas.

"Eu temo pelos meus filhos. Eu não sei o que esperar", compartilha Alina com os olhos cheios de lágrimas. "Todos os dias eu os envio para a escola e não me preocupo com suas notas. Minha única oração é para que eles não sejam zombados ou mal tratados por sua fé." O marido de Alina a abandonou com seus quatros filhos há seis anos, após saber que sua esposa havia se tornado cristã.

Ore por Alina e seus filhos, para que o Senhor os proteja do assédio na escola por causa de sua fé.

*Nome alterado por motivos de segurança.
Leia também
Irmãs pela fé: Galiya
Irmãs pela fé: Rita
FontePortas Abertas Internacional
TraduçãoCecília Padilha

Fonte: [Portas Abertas]

22 de abr de 2014

Testemunhos convincentes da ressurreição de Cristo



sillas-testemunhos
A ressurreição de Cristo é uma das verdades mais importantes para o Cristianismo! Sem ela não há Cristianismo, evangelho ou esperança de salvação! É sua vitoria “sobre a morte” que separa Jesus Cristo de…
  1. Abraão – o líder do Judaísmo.
  2. Buda – o líder do Budismo.
  3. Maomé – o líder do Islamismo.
  4. Allan Kardec – um dos líderes do Espiritismo.
  5. E de todas as divindades do Hinduísmo.
Só o Senhor Jesus exibe uma sepultura vazia!
Através dos séculos os cristãos têm sido perseguidos, aprisionados, torturados e executados por causa desta verdade. Mas a igreja nunca abriu mão desta certeza!
Por isso todos os anos, por ocasião da Páscoa, o Diabo levanta um boato contra a divindade ou ressurreição! Exemplos?
-Em 1988 o diretor Martin Scorsese lançou o filme “A Ultima Tentação de Cristo”, que apresenta um messias indeciso e mal resolvido.
-Em 2003 o autor Dan Brown lança “O Código Da Vinci”, romance que questiona a divindade de Cristo.
-Em 2012 um arqueólogo declarou ter achado um ossuário com os restos mortais de Jesus Cristo. Depois de muitas reportagens, especulações, e danos á fé de alguns, o achado foi declarado falso!
-Em na véspera desta páscoa de 2014, alguns jornais sensacionalistas noticiaram sobre um papiro antigo que revelaria que Cristo teve uma esposa! Fui pesquisar sobre o assunto numa fonte mais séria e descobri que se tratava de mais um alarme falso. Veja na Folha de São Paulo de 11/04/14 artigo “De novo, ‘a mulher de Jesus’” pelo jornalista Reinaldo José Lopes.
Graças a Deus, o Cristianismo tem base histórica sólida! Em I Cor 15:1-11 temos testemunhos convincentes da ressurreição de Cristo!
Se você for acusado falsamente de um crime, processado, e levado diante de um tribunal de justiça, torça para ter a seu favor 2 ou 3 testemunhas oculares! Quero dizer, se alguém quiser julgar “a ressurreição”, se foi fato ou fraude, Paulo apresenta mais de 500 testemunhas oculares! Muitos que morreram por causa deste testemunho!
Antes de falar das testemunhas oculares Paulo apresenta o seguinte:

I. O testemunho da Igreja Primitiva (1-2)

1 Irmãos, quero lembrar-lhes o evangelho que lhes preguei, o qual vocês receberam e no qual estão firmes. 2 Por meio deste evangelho vocês são salvos…
Qual a mensagem do Evangelho? Que Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou (versos 3-4). Logo, nestes dois primeiros versos (acima) Paulo esta dizendo o seguinte: Os irmãos da igreja em Corinto, que viveram nos tempos de Cristo, não tinham nenhuma dúvida acerca da sua divindade, morte vicária e ressurreição! Permaneciam firmes! Pois eles tinham sido transformados pelo Cristo ressurreto! Eles tinham sido libertos da idolatria, adultério, avareza, vida de contravenção, alcoolismo e práticas homossexuais! (I Cor 6:9-10)

II. O testemunho das Escrituras (3-4)

3 Pois o que primeiramente lhes transmiti foi o que recebi: que Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, 4 foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras,
Além do testemunho vivo da igreja Paulo menciona o testemunho das Escrituras! Declarando que, tudo o que aconteceu com Jesus Cristo, aconteceu “segundo as Escrituras”! O Antigo Testamento profetizou sua encarnação, morte vicária e ressurreição. Por exemplo, leia o texto de Isaías 53.

III. O testemunho de testemunhas oculares! (5-8)

5 e apareceu a Pedro e depois aos Doze. 6 Depois disso apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez, a maioria dos quais ainda vive, embora alguns já tenham adormecido. 7 Depois apareceu a Tiago e, então, a todos os apóstolos;
8 depois destes apareceu também a mim, como a um que nasceu fora de tempo.
A primeira testemunha ocular mencionada é Pedro. Pedro é uma ótima testemunha, pois no princípio ele não acreditava na ressurreição. Tanto é que ele negou a Cristo três vezes, e voltou para sua antiga profissão. A segunda testemunha são os doze! Atos 1:3 diz: “Depois do seu sofrimento, Jesus apresentou-se a eles e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo. Apareceu-lhes por um período de quarenta dias falando-lhes acerca do Reino de Deus.”
A terceira testemunha é o grupo dos 500 irmãos! Aos quais Cristo se revelou de uma só vez – a maioria dos quais ainda estavam vivos. Lembre-se que Paulo escreveu esta defesa vinte e cinco anos após a ressurreição.
A quarta testemunha é Tiago. Provavelmente, este não é o Tiago apóstolo, mas um dos irmãos de Cristo, pois aqui, Paulo o destaca à parte dos doze. Este também é uma testemunha relevante, pois em João 7:5 diz que os irmãos de Jesus não criam na sua divindade. Mas após a ressurreição sabemos que este Tiago, se converteu! Tornou-se um dos líderes da Igreja em Jerusalém!
A quinta testemunha é o próprio Paulo! Por várias razões Paulo é uma ótima testemunha a favor da ressurreição. Cidadão romano, Judeu comprometido, inteligente e bem preparado academicamente falando; inimigo famoso e ferrenho do Senhor! Ele não cria em Jesus, nem na sua Divindade, muito menos na sua Ressurreição.Ele perseguia e encarcerava os cristãos!Porém, após um encontro sobrenatural com Cristo ressurreto tornou-se um adorador! Testemunha ocular! Disposto a viver e morrer por Jesus!
Conclusão: A fé cristã tem base histórica sólida! Jesus Cristo ressurgiu com poder e grande gloria! As profecias se cumpriram! A morte foi vencida! E sua divindade e poder foi autenticada historicamente! Por isso os apóstolos perderam o medo e a covardia! Por isso sua igreja se espalhou pelo mundo inteiro! E se você ainda vive escravizado ao pecado, distante da graça de Deus. O desafio de amor do próprio Deus para sua vida é…:
“Creia no Senhor Jesus e serás salvo!”
-Não importa o seu passado!
-Não importa o que você fez ou com quem você andou!
Apenas, creia no Senhor Jesus e serás salvo!
Só Ele tem autoridade e direito para dizer:
“Eu sou a ressurreição e a vida!
Quem crer em mim, ainda que morra viverá!
E quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente!”
Por: Sillas Campos. Ministério Fiel © 2014 Todos os direitos reservados. Website:www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com.  OriginalTestemunhos convincentes da ressurreição de Cristo
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Fonte: [Voltemos ao Evangelho]

5 Coisas que Você Nunca Deveria Dizer ou Fazer em um Funeral



5CoisasQueVoceNuncaDeveriaDizerOuFazerEmUmFuneral
Nada me faz querer me afastar mais da santa ambição e da boa luta do ministério como pregar em um funeral. Eu luto por dias e noites a fio não apenas com o que dizer, mas como dizer. Se estou desfrutando de um momento encorajador da vida, eu tenho dificuldade de entrar no sofrimento do luto. Quem sou eu para representar os sentimentos da família enlutada enquanto ela assiste minha tentativa de honrar seu ente querido? Mas muita coisa mudou para mim quando preguei no funeral de meu pai agosto passado. Deus me deu o discernimento não apenas do pregador, mas também do membro da família.
Tal momento nunca é casual ou fácil. Requer muita coragem e ajuda do Espírito Santo. Enquanto pedimos ajuda a Deus em oração, não devemos ser descuidados com nenhuma de nossas palavras. O que dizemos é poderoso em tal situação vulnerável, e devemos pisar com cuidado. Então aqui estão cinco coisas que devemos evitar quando pregamos em um funeral.

1. Não se refira ao santo falecido apenas no tempo pretérito.

Parte do trabalho do pregador é honrar ao Senhor falando sobre como tal filho de Deus amou a Jesus e deu sua vida para a glória dele. Contudo, muitas vezes podemos falar descuidadamente da pessoa no tempo passado. Se cremos que o morto está vivo em Cristo e em sua presença, devemos nos referir a ele também nos tempos presente e futuro. Dessa maneira lembramos a família e outros ouvintes da esperança do evangelho.

2. Não esqueça a perspectiva de Deus.

Somos ensinados no Salmo 116.15: “Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos”. Deus é glorificado quando seus filhos vão para casa. Estar na presença desvelada de Deus é a maior alegria que um crente pode receber. É o fim da longa luta da santificação e o belo início da glorificação.

3. Não ignore os perdidos.

Os perdidos estão sempre à nossa volta. Eles podem não estar deitados no caixão, mas estão mortos em seus pecados. Os perdidos precisam ser lembrados que a morte é uma realidade da vida, uma transição que todos nós faremos um dia. Se há qualquer local para pregar a seriedade do pecado e a graça de Cristo, esse local é sobre o corpo de um santo que está perdido aos olhos deles. Peça que se arrependam e desfrutem de vida eterna com o Salvador. O santo honrado está mais vivo do que qualquer um possa imaginar.

4. Não diga ou insinue que o morto era perfeito.

Pessoas reais são encorajadas ao ouvir sobre a vida real. E a vida real é cheia tanto de alegrias quanto de tristezas. O santo honrado completou a carreira e combateu o bom combate. Nós podemos aprender a partir da vida de qualquer um que foi unido com Cristo.

5. Não abandone a realidade do céu — explique-a.

A igreja precisa continuar ouvindo e estudando a palavra de Deus sobre nosso futuro lar. A falta de falar a respeito do céu revela nossa falta de fé, esperança e alegria nisso. Aquele querido filho de Deus que partiu agora desfruta de Deus e das riquezas de seu reino. Por pelo menos alguns poucos momentos podemos tirar as pessoas de sua perspectiva de “aqui e agora” que diminui a alegria proposta a elas em Cristo. Lembre-as que os cristãos estão sempre cercados pela graça e não têm nada senão o céu à sua frente.
John Pound é pastor de estudantes na West Jackson Baptist Church em Jackson, Tennessee.
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Fonte: [Voltemos ao Evangelho]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...